Questões éticas envolvendo a psicoterapia on-line

Hoje, não somente é possível quanto recomendável fazer psicoterapia on-line. Contudo, como todo exercício de profissão, algumas questões éticas norteiam essa prática, você as conhece? É o nosso tema de hoje, acompanhe.

Atendimento para adultos

A psicoterapia on-line somente deve ser realizada em pacientes adultos, isto é, pessoas com dezoito anos ou mais. Todavia, a barreira geográfica aqui é inexistente, sendo que o adulto pode morar no Brasil ou no Exterior.

Em relação ao atendimento on-line de crianças e adolescentes, a(o) psicóloga(o) deverá avaliar a sua viabilidade e, para que ocorra, será fundamental o consentimento expresso de ao menos um dos responsáveis legais.

Sigilo das informações

Outra questão ética envolvendo a psicoterapia-online é quanto ao sigilo das informações por parte do psicólogo. isso é regra para todo profissional de psicologia, seja em consultório ou atendimento on-line, e ele é o responsável por garantir esse sigilo em todas as suas consultas.

Isso quer dizer que o psicólogo precisa garantir que as informações do paciente e tudo o que ele disser em consulta estarão protegidos e guardados em segurança, e que é preciso tomar precauções adicionais quanto ao uso de tecnologias para mediação do atendimento.

Sendo assim, o psicólogo pode atender o seu paciente on-line da maneira como achar mais adequado e que ficar bem para ambos, mas é imprescindível que o psicólogo garanta (e informe como fará isso) o sigilo das informações.

A psicoterapia on-line pode ser feita de modo síncrono ou assíncrono com o paciente, conforme acordado previamente. Ou seja, os dois podem ou não conversar ao mesmo tempo um com o outro, por chamadas de voz ou vídeo, mas também por e-mail, telefone, mensagem instantânea, etc.

O tempo de atendimento on-line

Esse também é um quesito que envolve questões éticas, porque o psicólogo não pode atender o paciente por menos tempo do que a consulta presencial.

Não pode haver discriminação por conta de alta demanda de pacientes, honorário reduzido, fatores atrelados ao plano de saúde, etc. A redução no tempo de atendimento pode resultar em prejuízo da sessão, e isso não é admitido de forma nenhuma. Todos os pacientes devem ser tratados da mesma forma, independentemente do tipo de psicoterapia.

Atender somente os casos permitidos para essa modalidade

Assim como não se pode atender crianças e adolescentes por psicoterapia on-line, a ética do psicólogo também exige que ele atenda de modo presencial em algumas situações, como:

– sobreviventes ou envolvidos em desastres;

– casos de violência ou de violação de direitos;

– situações de urgência e emergência.

São casos que, por conta de situação delicada, necessitam do atendimento presencial, do olho no olho. Sendo assim, o psicólogo deve obedecer a essa determinação presente nas resoluções sobre o atendimento on-line.

Atendimento somente após cadastro no e-Psi

Para finalizar, é imprescindível que o psicólogo esteja devidamente cadastrado no portal e-Psi, para o cumprimento adequado de sua profissão (deve ser atualizado anualmente). Para isso, deve estar em dia também com o cadastro no CRP de sua região.

Em tempos de pandemia, não é necessário aguardar a aprovação para iniciar a psicoterapia on-line, contudo o cadastro não pode deixar de ser feito, ok?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *